Boa notícia no Dia da Terra

A revolução do gás de folhelho tem reduzido as emissões de dióxido de carbono dos EUA.

Ano após ano, mensagens de destruição ambiental, de tristeza e advertências são veiculadas no Dia da Terra. Por trás desses sentimentos nos países ricos, os governos têm investido bilhões de dólares ineficientemente, sentindo-se bem com políticas de subsídios a painéis solares e carros elétricos.

Mas há maneiras muito melhores para melhorar as perspectivas ambientais para a humanidade e o nosso planeta. No Dia da Terra, precisamos de mais fracking, mais riqueza, mais investimentos inteligentes e menos subsídios ineficientes.

Contribuintes alemães despejaram 130 bilhões de dólares para subsidiar painéis solares, mas em última análise, até o final do século, isso vai adiar o aquecimento global em triviais 37 horas. Os carros elétricos são ainda menos eficientes. Sua produção consome uma grande quantidade de combustíveis fósseis e, principalmente, eles utilizam energia elétrica de combustíveis fósseis para serem recarregados. Mesmo que os EUA consigam chegar à meta ambiciosa de 1 milhão de carros elétricos até 2015 – custando aos contribuintes mais de 7,5 bilhões dólares – o aquecimento global seria adiada em apenas 60 minutos.

Essas políticas sedutoras custam uma fortuna, mas fazem pouca diferença para o meio ambiente porque as tecnologias ainda não estão prontas. É por isso que precisamos investir mais em pesquisa e desenvolvimento de longo prazo para a inovação verde. Isso seria muito mais barato do que as políticas ambientais atuais e acabaria fazendo mais bem para o clima.

Se pudéssemos fazer os painéis solares 2.0 ou 3.0 mais baratos do que os combustíveis fósseis, nós poderíamos fazer com que todos, incluindo os chineses e indianos, embarcassem em um futuro mais verde.

Além disso, o nosso foco em painéis solares e carros elétricos nos desvia dos problemas ambientais mais mortais do mundo. Nos países ricos, a maioria dos indicadores ambientais está ficando cada vez melhor. Temos um ar mais limpo e água limpa, e sofremos menos riscos ambientais. Mas a poluição do ar e da água mata 6 milhões de pessoas a cada ano e causa milhões de dólares de prejuízos em todo o mundo.

Os países ricos, em grande parte resolveram estes problemas através do desenvolvimento econômico.

Os países pobres devem ter a mesma oportunidade de se desenvolver – para que eles também possam ter água potável e mudar para fontes de energia mais limpas, em vez de usar esterco e galhos como combustível.

Os Ricos também podem intervir diretamente em países pobres. Muitas organizações humanitárias estão envolvidas em resolver esses problemas, melhorando o acesso à água potável e ao saneamento. Ao abordar esses desafios, fazemos muito mais o bem para o nosso planeta.

O Dia da Terra também apresenta uma oportunidade para reconhecer nossas próprias realizações ambientais. Apesar de décadas de disputas políticas, o que não conseguiu produzir uma política climática global significativa, foi, finalmente, a revolução do gás de folhelho, que reduziu as emissões de dióxido de carbono dos EUA.

O fracking causou uma dramática transição para o gás natural, um combustível que emite 45% menos dióxido de carbono do que a queima de carvão. Dados da Administração de Informação de Energia dos EUA mostraram que, em 2012, as emissões de dióxido de carbono foram 12% menores do que o pico em 2007. A mudança do carvão para o gás natural é o único responsável por uma redução de 8% a 9% de todas as emissões de CO₂ dos Estados Unidos. Na verdade, o que equivale ao dobro da redução que o resto do mundo conquistou ao longo dos últimos 20 anos.

Todos os projetos de energia têm riscos, e embora os perigos de contaminação do fracking provavelmente tenham sido exagerados, uma regulamentação mais rígida reduziria mais esses riscos. Além disso, o gás natural não é o último avanço energia porque ainda é um combustível fóssil. Mesmo assim, fracking é provavelmente a melhor opção verde desta década. E se o fracking acontecesse em todo o mundo, as emissões provavelmente diminuiriam substancialmente em 2020. Nas próximas décadas, é preciso reduzir o custo da energia verde através de investimentos inteligentes em inovação verde.

Neste Dia da Terra, precisamos de uma dose de realismo sobre os verdadeiros desafios ambientais – como a poluição do ar e da água que tornam a vida tão miserável para bilhões de pessoas – e as oportunidades reais que existem para a inovação ambiental, para tornar o nosso planeta um lugar melhor.

O texto acima é uma tradução livre de um artigo de Bjørn Lomborg publicado hoje no USA Today. Para ver o original, clique aqui

.

Anúncios

0 Responses to “Boa notícia no Dia da Terra”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Acessos ao blog

  • 434,818 acessos

Responsável pelo blog


%d blogueiros gostam disto: