Aquecimento global desmascarado: relatório da NASA verifica que dióxido de carbono na verdade esfria a atmosfera

Praticamente tudo o que foi dito pela comunidade científica dominante e os meios de comunicação sobre os supostos malefícios dos gases de efeito estufa, e em particular o dióxido de carbono, parece ser falso, de acordo com os novos dados compilados pelo Centro de Pesquisas da NASA em Langley. Como se pode ver, todos os gases de efeito estufa na atmosfera que Al Gore e todos os outros fraudadores do aquecimento global há muito reivindicam que causariam o superaquecimento e a destruição de nosso planeta estão, na verdade, resfriando-o, com base nos últimos estudos.

Conforme relatado na publicação “Principia Scientific International” (PSI), Martin Mlynczak e seus colegas da NASA rastrearam as emissões de infravermelho da alta atmosfera da Terra durante e após uma tempestade solar recente, que ocorreu entre os dias 8 e 10 de março. O que eles descobriram foi que cerca de 95% da energia liberada pelo sol durante esta imensa ejeção de massa coronal foi refletida de volta para o espaço ao invés de ser absorvida na baixa atmosfera da Terra.

O resultado foi um efeito de resfriamento global que contradiz completamente as alegações feitas pela própria divisão de climatologia da NASA, de que os gases de efeito estufa seriam os causadores do aquecimento global. Como ilustrado pelos dados recolhidos nas sondagens da atmosfera usando as emissões radiométricas de banda larga (SABER), tanto o dióxido de carbono (CO₂) como o óxido nítrico (NO), que são os gases de efeito estufa mais abundantes na atmosfera superior da Terra, refletiram a energia que seria a responsável pelo aquecimento ao invés de absorvê-la.

“O dióxido de carbono e óxido nítrico são termostatos naturais”, disse James Russell, da Universidade de Hampton, que foi um dos principais pesquisadores no estudo inovador SABER. “Quando a atmosfera superior (‘termosfera’) aquece, essas moléculas tratam de lançar o calor de volta para o espaço tanto quanto possível”.

Quase toda a radiação gerada pelo Sol que seria a responsável pelo ‘aquecimento’ é impedida de entrar na baixa atmosfera pelo CO₂

De acordo com os dados, cerca de 95% da radiação solar é literalmente devolvida ao espaço pelo CO₂ e pelo NO na atmosfera superior. Sem esses componentes básicos, em outras palavras, a Terra seria capaz de absorver quantidades potencialmente devastadoras de energia solar, que seriam verdadeiramente capazes de derreter as calotas polares e destruir o planeta.

“A contundente revelação contradiz duramente a proposição central da chamada teoria dos gases de efeito estufa, que afirma que mais CO₂ significaria mais aquecimento para o nosso planeta”, escreve H. Schreuder e J. O’Sullivan para a PSI. “Os novos e consistentes dados da NASA refutam essa ideia, o que é um grande embaraço para o climatologista chefe da NASA, o Dr. James Hansen, e a sua equipe do GISS da NASA”.

Sem rodeios, o Dr. Hansen é um ativista do aquecimento global, como todos sabem, que ajudou a desencadear uma histeria artificial sobre as mudanças climáticas nas costas dos EUA em 1988. Logo após o lançamento desse novo estudo SABER, no entanto, o Dr. Hansen convenientemente se aposentou de sua carreira como climatologista da NASA e agora planeja gastar o seu tempo com a “ciência”, e em “chamar a atenção para suas implicações para os jovens”.

O post acima é uma tradução livre de um artigo publicado no site NaturalNews. Para ver o original, clique aqui

.

31 Responses to “Aquecimento global desmascarado: relatório da NASA verifica que dióxido de carbono na verdade esfria a atmosfera”


  1. 1 Jandui 03 junho 2013 às 8:39 am

    Dr. Hansen tentou mandar a ciência às favas. Merece um processo duro por contribuir para a perda da credibilidade da ciência, de forma geral. Crime lesa-humanidade.

  2. 2 Murilo 06 junho 2013 às 12:39 pm

    O que muitas pessoas não entendem é que a suposta ideia de aquecimento global funciona como incentivo para pesquisa de novas fontes de energia menos poluentes, que ao meu ver, é um benefício imensurável para humanidade que caminha na contramão da sustentabilidade. Sou defensor do aquecimento global até que se prove o contrário, essa é uma prova contrária sem dúvida, ponto para os sheiks do petróleo!

    • 3 Viktor 07 junho 2013 às 6:33 pm

      Ao “defender” o aquecimento global passa-se da ciência para a causa, para o ativismo, o que na verdade, sempre foi. Dados de satélite mostram que o suposto aquecimento parou 16 anos atrás e estamos com tendência negativa nos últimos 10. Mesmo assim, o meme continua. Os modelos falharam miseravelmente (http://www.drroyspencer.com/2013/06/epic-fail-73-climate-models-vs-observations-for-tropical-tropospheric-temperature/). Os mal informados, que não sabem os efeitos colaterais das tais energias “renováveis” e não sabem sobre sua real eficiência, continuarão a ser inocentes-úteis promovendo a riqueza dos poucos tubarões de sempre. Inutilidades.

    • 4 Jandui 12 junho 2013 às 8:30 am

      Murilo, se o CO2 não é o nosso vilão, temos que rever tudo. A energia do petróleo passa a ser energia limpa. Não renovável, mas limpa. Aliás, limpíssima, pois já está aí formada, pronta, há milhões de anos, é só queimar. O trabalho para produzir essa energia já foi feito. Menos trabalho, menos poluição. “Sou defensor do aquecimento global”😦 Pegou mal.

  3. 5 Vivian 14 junho 2013 às 11:51 am

    Sim, concordo que é importante investir em novas fontes de energia, mas acho que o fato de o petróleo ser uma fonte de energia não renovável já é incentivo o suficiente para que se invistam em novas fontes de energia. E os incentivos de governos a painéis solares ineficientes pode, na verdade, desestimular o investimento em pesquisas para painéis mais eficientes.

  4. 6 Prof. Ernesto 08 julho 2013 às 6:16 pm

    Novas fontes de energia limpa é bom, poluição é ruim, preservação da natureza é bom, aquecimento global é mentira.

  5. 7 Bruno Batista de Lima 30 setembro 2013 às 10:17 am

    O problema não é só o aquecimento global. Pensemos um pouco mais…, se o dióxido de carbono é prejudicial ou não, vamos deixá-lo para segundo plano, agora e o problema seríssimo da produção industrial com geração assustadora de resíduos que cresce a cada ano? Todo mundo sabe, mas ninguém se mobiliza. O problema é que a produção mundial precisa ser freada, não há dúvidas, por isso apoio a ideia do “aquecimento global” como freio da produção mundial. A verdade é que o sistema é insustentável, isso é inquestionável, com aquecimento global ou não.

    • 8 Jóta 30 setembro 2013 às 6:07 pm

      Caro, a manipulação da humanidade a favor de uma tese malthusiana e elitista não teria nenhum efeito positivo. Mudar o mundo através da corrupção da ciência e da política é caminho certo para a degradação social, o que é muito pior do que um suposto perigo do crescimento industrial, que até aqui nos trouxe benefícios: mais expectativa de vida, mais conforto, mais saúde, etc., etc.. O que deveria ser feito, na verdade, é o investimento massivo em educação. Cada ano a mais de escola, menos filhos as pessoas tem. Não é a toa que as projeções de crescimento da população mundial mostram que ela está se estabilizando.

  6. 9 Eduardo 30 setembro 2013 às 3:02 pm

    Não sou especialista. Mas estudei um pouquinho no curso de engenharia. Temos uma questão simples de causa e efeito. Se se prova que o CO2 não é causa, é bom que busquemos as verdadeiras causas. Que a poluição é fato, acho que não há o que discutir. Mas depositar, como está sendo feito, toda a culpa para o CO2 é, no mínimo burrice, no máximo burrice + hipocrisia. Que eu simples mortal o faça, ignorância. Mas quando sabemos que são tantas variáveis juntas no problema e ao ver tantos cientistas e estudiosos cometendo este, para falar brandamente, equívoco. Fico perplexo. Temos um estudioso (não lembro seu nome) que traz alegações, bastante fundamentadas, de que nossa contribuição para as emissões de CO2 são da ordem de 4% do total. Ou seja, se pararmos de emitir, 96% continuará acontecendo. Pois bem, e os outros gases, com cloro, enxofre, etc.. Formam ácidos, corroem, afetam a saúde, as colheitas, etc.. É, mas nunca ouço falar sobre eles… Então devem ser bonzinhos! Assim como a Dupont, faz alguns anos, no limiar de perder sua patente do refrigerante baseado em CFC, criou sua mega campanha de MKT, e conseguiu fazer com que o mundo inteiro trocasse de geladeira e ar condicionado, (circuitos selados) para não afetar a camada de ozônio? Para usar um outro gás que não foi testado? Não duvido de mais nada. Abraços,

    • 10 Luís Henrique Folli 07 outubro 2013 às 12:47 pm

      Eduardo, toda era glacial que o planeta atravessou foi causada por um grande despejo de dióxido de carbono lançado pelos vulcões na atmosfera. O planeta se aquece, derrete-se o gelo dos polos, esfria-se a água do mar, as correntes marinhas que fazem a troca de calor paralisam e o planeta entra em uma nova era glacial.

    • 12 Msc. Carlos Eduardo Teles de Souza 04 novembro 2013 às 9:32 pm

      Pois é, eu já vi esse caso da DuPont e esse negócio do homem lançar mais CO2 do que a natureza é palhaçada. Nada do que o IPCC disse se confirmou, tenho até vergonha de admitir que acreditava nessa coisa de o homem ser o grande responsável pelo aquecimento. A propósito, você está acompanhando a mutreta que está rolando lá no astroPT? Apareceu um tal de Jonas, chato pra c*, que fala o escambau de quem é contra o IPCC, mas tem uns monstros lá da argumentação que estão escorraçando essa corja que repete feito papagaio, que diz que é consenso. É certo que tem um monte de cientista que se cala diante dessa papagaiada da AGA para não perder bolsa científica…

  7. 13 Luís Henrique Folli 07 outubro 2013 às 12:42 pm

    Na realidade, existe um grande interesse econômico envolvido por traz disso tudo. As grandes empresas petrolíferas estão se sentindo ameaçadas com as novas pesquisas de energia alternativa, o que poderá trazer enormes prejuízos aos produtores. Partindo desse princípio, as empresas estão lançando uma campanha com falsas notícias sobre o aquecimento global, tentando tirar a credibilidade desses estudos. Existe sim um aquecimento global, comprovado pelos relatórios mundiais de temperatura do planeta anotados desde 1906, pelas tábuas de marés e pelo aumento do nível do mar. Derretendo-se as geleiras dos polos e da Groenlândia, o oceano se resfriará, as correntes marinhas que circulam pelo planeta vão deixar de trocar calor e entraremos em uma nova era glacial. O pior de tudo não é isso, pois considero esse desastre como um pequeno aperitivo. O que está por vir, é o derretimento da Tundra, onde, giga toneladas de metano estão aprisionadas no gelo e esse será o nosso fim: Atmosfera envenenada pelo Metano. Não há o que se fazer, é tarde demais para se reverter o problema, pois esse processo acelerado pelo homem, também é uma causa natural, afinal, se não fosse o aquecimento global, nós não estaríamos aqui.

  8. 14 Guilherme 06 novembro 2013 às 11:58 pm

    No nosso planeta, só existem duas fontes de energia economicamente viáveis: os hidrocarbonetos e os elementos laranjas da tabela periódica. As outras fontes são ineficientes. A energia não pode ser criada pelo homem, apenas usada. Toda a energia do universo foi já criada pelo Big Bang. Uma hidrelétrica é como uma bateria. A energia é acumulada, e depois liberada. Hidrelétrica só pode ser construída porque existe petróleo. Petróleo é renovável, pois o carbono e o hidrogênio são indestrutíveis. Enquanto o núcleo da Terra for energia, vai existir petróleo.

  9. 15 rogerio baptista da silva 23 novembro 2013 às 8:07 pm

    Tenho observado que nos últimos anos o inverno tem sido mais intenso e o próprio verão tem períodos de temperatura mais amena, talvez isso já seja um efeito do resfriamento.

  10. 16 José Eduardo Castilho 18 dezembro 2013 às 11:56 am

    O fenômeno do aquecimento ou não global (depois de tantos desmentidos e confirmados) pode ficar para segundo plano. Penso que o que devemos fazer realmente é dedicar toda a nossa energia pessoal e profissional nos processos de contenção (controle e tratamento) da emissão de resíduos sólidos, líquidos e gasosos gerados pelos diversos processos industriais que se alastram pelo mundo afora. Um abraço a todos

  11. 17 Alisson 19 dezembro 2013 às 6:17 pm

    Desculpa de capitalista para poluir mais o mundo, meramente por questões mesquinhas, o lucro.

  12. 18 Tyler 29 dezembro 2013 às 2:22 am

    Também acho que é uma mentira, o CO2 é nocivo para nós, o ar que respiramos e o futuro. Ele não resfria a Terra coisa nenhuma, o que essa emissão faz é criar uma camada de gases que impede a passagem de luz natural (e o calor do Sol) à superfície da Terra, mas teremos a sensação de que estamos sendo assados dentro de uma bolha que nunca vai estourar e essa camada nunca irá se dissipar por causa da gravidade, piorando a qualidade do ar que respiramos.

  13. 19 Jonas 19 maio 2014 às 2:49 pm

    Sabemos que os vulcões esfriam o planeta, muitas pessoas pensam que aquecem o planeta, mas esfriam, e muito. O grande Krakatoa, quando entrou em erupção, causou tsunamis, explosões e o sumiço da ilha que tinha seu nome do mapa, e foi tão alto o barulho da sua explosão que foi ouvido a 5.000 km de distância. Ele esfriou o planeta em 2,4°C. O CO2 é visto como o principal fator causador do aquecimento global, mas eu não acredito que o mesmo cause isso. Creio que a nível local, o CO2 polua a cidade, podendo causar um miniclima local, mas a nível global, o que emitimos não causa nada, sabendo que 3/4 do planeta é água, nem que toda parte terrestre do planeta estivesse em incêndio causaria alguma mudança significativa e não temos provas de que realmente o dióxido de carbono cause aquecimento a nível global. Muitas pessoas comparam o planeta Venus com a Terra, afirmam que o CO2 causou aquecimento global por lá, mas não levam em conta a pressão atmosférica de lá que é maior do que na Terra, 400 vezes mais.

  14. 20 Nyc São Paulo 19 janeiro 2015 às 11:02 pm

    Segundo me consta, Vênus é coberto de nuvens no melhor estilo de efeito estufa. A temperatura na superfície lá é de 400 °C, sem desconsiderar, é claro, a sua maior proximidade ao Sol. O Sol de dia aquece a Terra, mas a mesma camada de CO2 que reflete os raios solares ao espaço, tambem retem o calor à noite, absorvido pela Terra pela manhã, além de reter o calor gerado pelos combustíveis fósseis. E também, não se pode comparar os dois meios, CO2 de hoje com cinzas de atividades vulcânicas do período glacial. Não estaria o lobby das indústrias americanas “financiando” as atividades da NASA?

  15. 21 Luis 30 março 2015 às 11:09 am

    Diversos comentários feitos ao post são desinformados e completamente desonestos. A desonestidade está em desqualificar uma pesquisa científica sem discutí-la, limitando-se a lançar a suspeita de que as grandes empresas de petróleo a teriam financiado. Já a desinformação está, em primeiro lugar, na suposição de que as empresas de petróleo e da indústria de transformação só pensam no curto prazo, quando é notório que as grandes empresas visam se valorizar sempre numa perspectiva de longo prazo, como revela o mercado de ações. Nesse sentido, uma catástrofe global traria prejuízos enormes para os negócios das grandes empresas industriais e de extração de petróleo, de modo que elas não têm o menor interesse em enganar a opinião pública forjando pesquisas que desmentem a tese do aquecimento global antropogênico, AGA. Esses comentários são desinformados também pelo desconhecimento de que a maior parte do dinheiro empregado em pesquisas climáticas vem de governos e, nesse sentido, os “modelos climáticos” que supostamente corroboram a tese do AGA têm muito mais chance de receber financiamento do que os modelos que divergem dessa hipótese. Ver: LEVITT, S. D.; DUBNER, S. J. Superfreakonomics: o lado oculto do dia a dia. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010, p. 166.

  16. 22 Dennys 10 agosto 2015 às 4:25 pm

    Entendi, então o fato de despejarmos 30 bilhões de litros de CO2 ao ano na atmosfera em nada afeta o equilíbrio do planeta. Isso porque a parcela pré revolução industrial é de apenas 3 moléculas de CO2 para 1000 moléculas. Hoje já nos aproximamos do dobro disse, o qual muitos cientistas consideram o ponto de não retorno. Tudo isso analizado através do gelo ártico que foi capaz de nos dar amostras do ar nos últimos 120 milhões de anos ou mais. Vocês acham que Vênus é quente porque está a uma distância 30% menor que a Terra do Sol. Sendo quase toda sua atmosfera repleta de nuvens de ácido sulfúrico que repelem quase toda energia solar de volta ao espaço e apenas uma parcela mínima atinge sua superfície. E essa parcela mínima é capaz de manter o planeta aquecido a temperaturas insustentáveis a vida pelo simples fato de mais de 90% de sua atmosfera ser repleta de CO2. Nossa, tudo que aprendemos estudando outros planetas precisa ser refeito, pois pela teoria acima de que o aumento de CO2 na terra teria repelido mais calor pro espaço se aplicada a Vênus deveria torná-lo um dos planetas mais gelados da galáxia. Pelo amor de Deus. O CO2 é acumulador de energia em qualquer atmosfera no COSMOS, em nenhuma parte do universo ele é capaz dissipar calor. O calor que ele retém não da radiação solar, e sim do calor convectivo vindo do solo. É inadmissível que alguém queira usar ciência básica para alegar que aquecimento global é histeria…

  17. 23 Dennys 10 agosto 2015 às 4:29 pm

    Mais um dado: a soma da média de todos os vulcões ativos na atmosfera nos últimos milhares de anos não foi superior a 40 milhões de litros de CO2. Nós 30 bilhões… O que se sabe em pesquisa mais recentes, é que existe um limite até onde a Terra consegue realizar toda a troca necessária (planctons, oceanos e florestas) para conseguir processar o CO2 da atmosfera…

  18. 24 Dennys 10 agosto 2015 às 4:41 pm

    Estamos novamente vivendo um fato similar quando a indústria do petróleo resolveu utilizar o chumbo tetraetila misturado ao combustível. Tinha cientista provando que não fazia mal algum, quando já havia cientista que provava que fazia. Foram necessários mais de 30 anos para que os EUA reconhecesse e banisse esse composto misturado ao combustível. Obs: não existem níveis seguros ou toleráveis de PB (chumbo) que não faça mal aos humanos… Reportagens da época também alegavam que não havia nenhum problema, que era tudo histeria. Quem acha exagero, vá lamber chumbo e depois me diz que realmente não faz mal…

  19. 25 Mario 11 agosto 2015 às 9:42 am

    Dennys, seus comentários contêm tantas informações sem nexo que quase os enviei para o lixo, não mereciam nem ser publicados.
    Para começar, a concentração de CO₂ na atmosfera terrestre está hoje em torno das 350 ppm (partes por milhão), 0,035% ou ainda 3,5 por 10.000.
    O CO₂ é um gás nas condições normais de pressão e temperatura, então se refira a ele em termos de massa e acompanhe os cálculos:
    Massa da atmosfera terrestre: 5 x 10¹⁵ toneladas
    Massa de CO₂ na atmosfera: 1,75 x 10¹² toneladas → concentração de 0,035% ou 350 ppm
    Emissões anuais de CO₂ decorrentes da atividade humana: 36,1 x 10⁹ toneladas (segundo a revista Veja)
    36,1 x 10⁹ ÷ 1,75 x 10¹² = 0,02 ou 2%
    Impacto da atividade humana: 2% de 0,035%…
    As emissões de CO₂ decorrentes das atividades humanas são menores que a incerteza em relação à ordem de grandeza das emissões naturais de CO₂…

  20. 26 Steel Steele 06 novembro 2015 às 11:03 pm

    Usar a Veja como fidedigna fonte de consulta é cruel, é o mesmo que escrever um paper usando a Wikipedia. O CO2 é produzido não só pela queima de combustível fóssil, existem centenas de processos químicos industriais intermediários que também produzem grandes quantidades deste gás, desde sal de fruta, as cervejarias, as indústrias de cimento e cal, dentre outras. A acidificação dos oceanos via ácido carbônico está levando à morte enormes quantidades de bancos de coral, da onde veio este ácido? Dos vulcões? Fora as quantidades absurdas de metano, outro provável gás estufa. Temos que ponderar que nossas ações tem efeitos e não usar a ciência para justificar nossas omissões.

  21. 27 Mario C. Filho 02 dezembro 2015 às 10:18 am

    O problema não é o dióxido de carbono (CO2) e sim o monóxido de carbono (CO)!

  22. 29 Marcone 24 abril 2016 às 2:42 pm

    Acredito que a ação do homem é restrita ao micro clima, como na cidade de São Paulo, por exemplo, mas falar em capacidade de mudança climática acho exagerado. É claro que a educação ambiental transcende essa discussão e que novos meios de geração de energia limpa são bem vindos, inteligentes e são uma solução tecnologicamente elegante, o que beneficia no futuro próximo os países subdesenvolvidos.


  1. 1 Aquecimento global desmascarado: relatório da NASA verifica que dióxido de carbono na verdade esfria a atmosfera. | FakeClimate Trackback em 01 junho 2013 às 11:10 pm
  2. 2 Aquecimento global desmascarado | NOTICIAS DA HORA Trackback em 09 novembro 2015 às 12:31 pm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Acessos ao blog

  • 419,417 acessos

Responsável pelo blog


%d blogueiros gostam disto: